VACINAÇÃO CONTRA A FEBRE AMARELA

26-01-2018 14:55

A Febre Amarela (FA) vem causando muitas dúvidas na população novamente, pois há áreas no país que estão sendo acometidas pela doença.

As pessoas que residem no Rio Grande do Sul, não apresentam risco eminente de contrair a doença, pois não há relatos sobre infectados no estado, sendo a última ocorrência de casos positivos entre os anos de 2008 e 2009. Somente viajantes de áreas com circulação da Febre Amarela tem maior risco de contrair a FA.

A Febre Amarela é uma doença com sintomas considerados inespecíficos, onde na forma mais grave poderão ocorrer insuficiências hepáticas, renais e icterícia (pele e olhos amarelados). O diagnóstico é clínico, epidemiológico e laboratorial e o tratamento é terapia de suporte, não havendo medicação específica.

A Febre Amarela é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, não havendo transmissão entre as pessoas (não contagiosa), nem pelo macaco. O macaco é picado por um mosquito infectado, adoece e torna-se fonte de transmissão do vírus para outros mosquitos, sendo ele sentinela da circulação do vírus.

Em casos onde houver morte de bugios no interior do município, as pessoas devem comunicar o mais breve possível a Vigilância em Saúde, para que seja feita a coleta de material para laboratório e análise se existe a presença do vírus.